Pedro Bandeira no Segundas Intenções

0

No sábado, 17 de outubro, a Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL) recebeu no programa Segundas Intenções o escritor Pedro Bandeira. Ele comentou sobre a sua obra – é um dos autores infantojuvenis mais vendidos do país, falou sobre o ofício da escrita e contou sobre as suas influências, entre elas os livros Festa no covil, do mexicano Juan Pablo Villalobos, e O sol é para todos, da americana Harper Lee. Para fechar o bate-papo, Bandeira realizou uma contação de histórias que animou crianças e adultos.

O autor começou a sua carreira na escrita como jornalista. Teve interesses ao longo da vida pela profissão de ator, tentou ser psicólogo, enveredou pela publicidade e cursou ciências sociais. Na Editora Abril, escrevia pequenas histórias curtas lançadas em bancas, o que nas suas palavras é algo “efêmero”. Foi quando uma amiga disse que ele devia publicar livros, atividade que encontrou a sua maior satisfação.

Lançou no mercado sua primeira obra: O dinossauro que fazia au-au, que conta a história de um garoto solitário que encontra um dinossauro e o ensina a se comportar como um cachorro. A obra fez um relativo sucesso, então ele partiu para imitar um dos seus ídolos: Monteiro Lobato e fazer um livro sobre uma “turminha”.

Assim nasceu Os Karas, uma série de seis livros que têm como protagonistas cinco estudantes que resolvem mistérios e aventuras. A primeira obra da saga foi A droga da obediência (1984) e a última A droga da amizade (2014).

“Queria escrever livros com metáforas para o público jovem. Não consigo escrever para adultos. Isso porque os livros têm que ter verdade emocional e psicológica. Não importa tanto o enredo. Quando o personagem te pega, ele escreve o livro sozinho. A literatura é uma proposta para o leitor”, comentou.

Bandeira também falou sobre outros dois sucessos, A marca de uma lágrima e O fantástico mistério da Feiurinha, este último adaptado para a tela grande e que ele considera o “pior filme da história mundial”. E arremata, polemizando: “O cinema brasileiro é muito ruim. Com o resultado de Feiurinha, cancelei todos os meus contratos para fazer filmes”.

O próximo Segundas Intenções vai ser realizado na BVL no dia 14 de novembro. O autor convidado é Ricardo Azevedo e a atividade acontece às 11 horas. A mediação do encontro é do jornalista e crítico literário Manuel da Costa Pinto.

Compartilhe

Deixe um Comentário

6 + um =