BVL promove Oficina de Poesia Visual

0

Nos dias 17 e 19 de maio, a Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL) promoveu a Oficina: Poesia Visual, que teve como objetivo apresentar conceitos e a história deste importante movimento literário e de artes plásticas do país, que se iniciou na década de 50. O tutor foi o jornalista e poeta Franklin Valverde. A atividade foi focada para o público +60 e teve intensa participação.

Valverde começou a atividade diferenciando os conceitos de poesia visual e concreta: na primeira, os elementos gráficos e a imagem fazem parte do poema; a segunda; é um gênero genuinamente brasileiro que teve influência num período histórico e com características bem definidas.

Para explicar melhor os concretistas, deve-se ater ao contexto histórico: as primeiras obras dela surgem entre 1956 e 1957, um período bem efervescente das artes no Brasil, com a ascensão da Bossa Nova, a realização da primeira Bienal de Artes; enfim, um tempo de grandes mudanças na sociedade e na cultura.

Existem seis os fundadores do movimento: Augusto de Campos, Décio Pignatari, Ferreira Gullar, Haroldo de Campos, Ronaldo Azeredo e Wlademir Dias-Pino. Eles também definiram as linhas bases (o Plano-Piloto) do que seria a poesia concretista. Entre as definições estão: o fim do ciclo histórico do verso, que a palavra pode ser um poema, que é importante ter em função a arquitetura poética e que o espaço em branco faz parte do poema.

O movimento gerou frutos, entre eles o neoconcretismo, a poesia semiótica e o poema-processo, todos tiveram um importante impacto artístico nos anos 60 e 70.

Após as explicações teóricas, o professor mostrou slides com diversas obras dos autores citados e de outros, além de dar pistas de como interpretá-las.

Na sexta, os alunos trouxeram jornais, revistas e materiais gráficos e foram produzir seus próprios poemas, usando tesoura, cola e imaginação. As colagens vão ser publicadas nas redes sociais.

Confira fotos das atividades:

 

Compartilhe

Deixe um Comentário

dezenove − 12 =